05/08/2022 às 09h51min - Atualizada em 05/08/2022 às 09h51min

Projeto quer viabilizar estrada ferroviária ligando Chapecó a Passo Fundo

. A proposta é que a ferrovia chegue ao Rio Grande do Sul, passando por Erechim, Getúlio Vargas e Passo Fundo, revitalizando um trecho já existente entre Erechim e Passo Fundo

Jornalista Maria Lúcia Carraro Smaniotto,
Jornalista Maria Lúcia Carraro Smaniotto,
O prefeito de Getúlio Vargas e presidente da Associação de Municípios do Alto Uruguai, Mauricio Soligo, participou de uma reunião via web realizada entre a Fiergs, o Conselho da Agroindústria (Conagro) e o Conselho da Infraestrutura (Coinfra), que teve como tema o Projeto da Nova Ferroeste que sairá de Maracaju no Mato Grosso do Sul, chegando a Cascavel no Paraná em direção a Foz do Iguaçu, Paranaguá e Chapecó. 

A proposta é que a ferrovia chegue ao Rio Grande do Sul, passando por Erechim, Getúlio Vargas e Passo Fundo, revitalizando um trecho já existente entre Erechim e Passo Fundo e construção de um novo desde Erechim até o vizinho estado catarinense.

O objetivo das entidades é buscar recursos para contratação de um estudo de viabilidade econômica e técnica para a construção desta ferrovia no Estado. O que pretendem é recuperar a competitividade logística e potencializar o desenvolvimento de novas atividades no Estado. Para isso, irão buscar apoio na iniciativa privada para viabilizar o estudo, além de cartas de intenções para a extensão da ferrovia Chapecó/Passo Fundo.

O projeto, que já está em fase de licitação para empresas privadas assumirem as obras, prevê um investimento total na obra é estimada em R$ 35 bilhões. O objetivo é que a estrada que chegará até Chapecó se estenda também em direção a Nonoai e Erechim, a partir de uma nova ferrovia, e de Erechim a Passo Fundo, utilizando o traçado antigo que passa por Getúlio Vargas, Estação e Sertão.

 

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp