29/11/2021 às 15h20min - Atualizada em 30/11/2021 às 00h00min

Ato em SP reúne cerca de 100 ativistas em defesa das búfalas de Brotas

Mobilização reuniu ontem (28) ativistas e ONGs em frente à Bolsa de Valores para alertar sobre maus-tratos dos cerca de 1.000 animais

SALA DA NOTÍCIA NQM
https://mercyforanimals.org.br/
Divulgação
Perto de 100 ativistas em defesa da causa animal realizaram ontem (28) em São Paulo (SP), um ato pacífico na defesa das cerca de 1.000 búfalas vítimas de maus-tratos e que foram abandonadas em uma fazenda na cidade de Brotas, a 245 km da capital paulista.

A mobilização começou em frente à Bolsa de Valores (Rua Quinze de Novembro, 275), ponto de partida para uma caminhada que durou cerca de uma hora. O ato serviu para chamar a atenção da população para este problema estrutural – o do abandono dos animais que não tem mais utilização para produção em larga escala.

“Não podemos aceitar mais que os animais sejam submetidos a condições exíguas e extremas para produção contínua de leite e seus derivados para na sequência serem descartados e levados para o abate”, alerta a vice-presidente de Investigações da Mercy for Animals (MFA), Luiza Schneider. A MFA é uma organização que trabalha no combate à exploração de animais para consumo.

Investigações da MFA já documentaram situações graves como vacas doentes definhando por dias sem cuidado até serem levadas ao abatedouro e bezerros violentamente separados de suas mães horas depois de nascer, processo semelhante ao que são submetidas as búfalas. "A responsabilização do fazendeiro foi um passo importante, mas a conscientização do público sobre o que acontece com os animais antes que seus produtos cheguem até o prato é muito importante para evitar que situações assim se repitam", complementa Luiza.

Búfalas de Brotas

As búfalas foram encontradas em condições precárias, sem água e comida, há 20 dias. Muitas não resistiram e morreram. Algumas estavam grávidas e perderam seus filhotes. Ativistas obtiveram a tutela dos animais e montaram um hospital de campanha para atendê-las - o relato diário pode ser acompanhado no Instagram @bufalas_de_brotas.

O caso é investigado pela Polícia Civil e também está na Justiça. O dono da fazenda e funcionários chegaram a ser presos, mas foram liberados após pagamento de fiança. O proprietário foi multado em mais de R$ 2 milhões por crime ambiental, mas recorreu.

O caso tem despertado, também, o envolvimento de celebridades e pessoas influentes na cobrança de uma solução, como o jornalista André Trigueiro, a apresentadora Xuxa, o ator Emiliano D’avila, a atriz Luana Piovani e a ativista Luisa Mell.

Como ajudar

No momento, os animais estão sob os cuidados de ONGs, ativistas e cidadãos, e os custos para alimentos e medicamentos são pagos com recursos de doações. Quem quiser contribuir, pode doar por meio do PIX: CNPJ 14.732.153/0001-38 – ONG A.R.A. Banco Cora SCD 403 – Agência 0001 – Conta 1372147-8 ou via PAYPAL [email protected](enviar o comprovante para o Instagram @bufalas_de_brotas)

Búfalas no Brasil
No Brasil, as búfalas são exploradas para produção de carne, leite e seus derivados. Apesar de a indústria ser muito pequena comparada à do leite de vaca, algumas práticas são comuns entre elas, como a gravidez recorrente para produzir leite e a separação dos seus filhotes. Além disso, vacas e búfalas têm o mesmo destino final: o descarte no abatedouro.
Segundo a Embrapa, a população de búfalos no Brasil é estimada em 1,4 milhão de animais. O Pará concentra 45% dos animais, percentual que sobe a 65% quando incluídas as criações de Amazonas e Amapá. Rio Grande do Sul e São Paulo são outros Estados de destaque, embora em todas as regiões existam criações.
A produção de leite de búfala representa 12,5% da produção mundial de leite, sendo o segundo leite mais produzido no mundo. No Brasil, é estimada em 83,5 milhões de litros, com mais de 75 mil búfalas sendo exploradas em 3,3 mil fazendas.

O búfalo fo introduzido no Brasil no final do século passado, inicialmente na ilha de Marajó, no Pará, porém, mas sua exploração para carne e leite no país de forma significativa é recente.

No Brasil, inequivocamente a indústria da carne e leite considera os búfalos animais “rústicos”, que tem a capacidade de se adaptar e manter sua produção em qualquer condição ambiental, até́ mesmo em escassez de alimento. Por isso, muitas vezes, há descaso em relação aos cuidados com esses animais sensíveis e inteligentes.

Sobre a Mercy For Animals
Fundada há mais de 20 anos nos Estados Unidos e presente no Brasil desde 2015, a Mercy For Animals (MFA) é uma das principais organizações sem fins lucrativos do mundo dedicada a combater a exploração de animais para consumo, especialmente em fazendas industriais e na indústria da pesca. A MFA trabalha para transformar o atual sistema alimentar e substituí-lo por um modelo que seja mais compassivo com os animais e garanta um futuro melhor para o planeta e todos que o habitam. Atualmente, a Mercy For Animals também opera em outros países da América Latina, no Canadá e na Índia.
Para mais informações sobre a organização, acessewww.mercyforanimals.org.br
 
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Comentar

*Ao utilizar o sistema de comentários você está de acordo com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE do site https://tcheerechim.com.br/.
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp